Arthur Cury: o Aquaman brasileiro

Arthur Cury: o Aquaman brasileiro

Com nome de herói e treinando na academia do multicampeão Gustavo Borges, o curitibano é um dos grandes destaques da nova geração da natação brasileira

2018 será o ano da consolidação de uma das grandes esperanças da natação brasileira: Arthur Cury. Aos 17 anos, o jovem curitibano é quase homônimo do herói Aquaman (Arthur Curry) e foi revelado pela Academia Gustavo Borges, comandada por um dos maiores ídolos da história do esporte nacional. Mas é lógico que não são só as coincidências que formam um grande atleta. Com muito treino e dedicação, Arthur se tornou figura carimbada no alto do pódio em competições nacionais e internacionais.

Apaixonado por esportes, o curitibano se dedicou ao judô, futebol, atletismo e, até mesmo, xadrez, mas foi nas piscinas que encontrou o seu lugar. Nadando desde os cinco anos, sempre incentivado pelos pais, o “Aquaman brasileiro” passou a se destacar rapidamente em competições. Com apenas 11 anos, fazia sucesso em campeonatos estaduais e regionais, mostrando muita técnica e espírito esportivo.

“Já aos 11, ele se destacava em competições Estaduais e Sul Brasileiros, e, como é muito técnico, percebi que estava treinando um atleta de grande potencial esportivo”, conta Ederley Scremin, técnico da equipe de natação da Academia Gustavo Borges, de Curitiba (PR), que acompanha o jovem há quase uma década. Com vários triunfos obtidos em pouco tempo, Cury é motivo de orgulho não só para o Paraná, mas também para o Brasil. E não é para menos. “Ele é um atleta muito determinado e focado. Sabe da importância de treinar bem para competir bem”, ressalta o treinador.

Para atingir a excelência em um esporte em que cada segundo faz a diferença, Arthur treina cinco vezes por semana, com duas horas na piscina e mais uma hora de exercícios na academia, além de manter hábitos saudáveis acompanhados de perto por especialistas. “Minha família sempre foi muito ligada a natação. Meu pai sempre nadou. Foi aí que me apaixonei pelo esporte e comecei a treinar sério em 2010. Os resultados começaram a aparecer e foram trazendo ainda mais motivação. Hoje, a minha vida gira em torno da nação”, comenta.

Resultados e futuro

Ao longo de sua carreira, o jovem curitibano apresenta números impressionantes, principalmente nos nados livres, medley e borboleta, suas especialidades. São 9 medalhas em campeonatos internacionais (4 de ouro), 44 medalhas em campeonatos nacionais (9 de ouro) e 158 medalhas em campeonatos estaduais (97 de ouro), além de 25 recordes quebrados. Desde 2011, o atleta acumula títulos relevantes, entre eles o Sul-americano 2015, na categoria Juvenil, disputado no Peru; os títulos de campeão brasileiro de 2013, 2014 e 2015, nas categorias Infantil e Juvenil; os títulos de campeão Sul-Brasileiro de 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017, nas categorias Infantil, Juvenil e Júnior; e a medalha de bronze no Campeonato Mundial Escolar, disputado em Budapeste, na Hungria, no ano passado. Mesmo com pouca idade, o curitibano figura entre os 10 melhores nadadores do país em três rankings de 2017: 200m livre (10º), 200m medley (4º) e 100m livre (8º).

Com as principais competições do calendário nacional começando a partir de abril, mês em que completará 18 anos, o curitibano terá uma agenda cheia, com destaque para o Campeonato Brasileiro Absoluto – Troféu Maria Lenk, que será disputado entro os dias 16 e 21 de abril, no Rio de Janeiro (RJ); o Campeonato Brasileiro Júnior de Inverno, entre os dias 27 e 30 de junho, em Curitiba (PR); o Campeonato Brasileiro Absoluto – Troféu José Finkel, com data a confirmar, evento seletivo para o Campeonato Mundial de Piscina Curta; e o Campeonato Brasileiro Júnior de Verão, que será realizado em São Paulo (SP), entre os dias 05 e 08 de dezembro.

“Esse será um ano muito importante para a minha carreira. Terei a oportunidade de participar de vários campeonatos de altíssimo nível, entre eles o Troféu Maria Lenk e o Troféu José Finkel, as duas principais competições da natação brasileira. Estou treinando forte para melhorar meu tempo e, consequentemente, alcançar resultados expressivos”, comenta Arthur.

Como não poderia ser diferente, o grande sonho do “Aquaman brasileiro” é virar um nadador profissional e disputar os Jogos Olímpicos. “Eu treino muito para isso. Sei que depende só de mim e darei o meu máximo para atingir essas metas pessoais. Representar o Brasil em uma Olimpíada será algo fantástico, e eu vou continuar trabalhando com muito foco para chegar lá”, completa o nadador.

 

Posts Relacionados

Decisão da Liga Nacional de Handebol será no Pinheiros

Blogueiro pedalará 3mil km para ajudar pessoas com deficiência física

VI Congresso Paradesportivo Internacional acontecerá pela primeira vez no Centro de Treinamento Paralímpico