Arthur Cury: o Aquaman brasileiro

Arthur Cury: o Aquaman brasileiro

Com nome de herói e treinando na academia do multicampeão Gustavo Borges, o curitibano é um dos grandes destaques da nova geração da natação brasileira

2018 será o ano da consolidação de uma das grandes esperanças da natação brasileira: Arthur Cury. Aos 17 anos, o jovem curitibano é quase homônimo do herói Aquaman (Arthur Curry) e foi revelado pela Academia Gustavo Borges, comandada por um dos maiores ídolos da história do esporte nacional. Mas é lógico que não são só as coincidências que formam um grande atleta. Com muito treino e dedicação, Arthur se tornou figura carimbada no alto do pódio em competições nacionais e internacionais.

Apaixonado por esportes, o curitibano se dedicou ao judô, futebol, atletismo e, até mesmo, xadrez, mas foi nas piscinas que encontrou o seu lugar. Nadando desde os cinco anos, sempre incentivado pelos pais, o “Aquaman brasileiro” passou a se destacar rapidamente em competições. Com apenas 11 anos, fazia sucesso em campeonatos estaduais e regionais, mostrando muita técnica e espírito esportivo.

“Já aos 11, ele se destacava em competições Estaduais e Sul Brasileiros, e, como é muito técnico, percebi que estava treinando um atleta de grande potencial esportivo”, conta Ederley Scremin, técnico da equipe de natação da Academia Gustavo Borges, de Curitiba (PR), que acompanha o jovem há quase uma década. Com vários triunfos obtidos em pouco tempo, Cury é motivo de orgulho não só para o Paraná, mas também para o Brasil. E não é para menos. “Ele é um atleta muito determinado e focado. Sabe da importância de treinar bem para competir bem”, ressalta o treinador.

Para atingir a excelência em um esporte em que cada segundo faz a diferença, Arthur treina cinco vezes por semana, com duas horas na piscina e mais uma hora de exercícios na academia, além de manter hábitos saudáveis acompanhados de perto por especialistas. “Minha família sempre foi muito ligada a natação. Meu pai sempre nadou. Foi aí que me apaixonei pelo esporte e comecei a treinar sério em 2010. Os resultados começaram a aparecer e foram trazendo ainda mais motivação. Hoje, a minha vida gira em torno da nação”, comenta.

Resultados e futuro

Ao longo de sua carreira, o jovem curitibano apresenta números impressionantes, principalmente nos nados livres, medley e borboleta, suas especialidades. São 9 medalhas em campeonatos internacionais (4 de ouro), 44 medalhas em campeonatos nacionais (9 de ouro) e 158 medalhas em campeonatos estaduais (97 de ouro), além de 25 recordes quebrados. Desde 2011, o atleta acumula títulos relevantes, entre eles o Sul-americano 2015, na categoria Juvenil, disputado no Peru; os títulos de campeão brasileiro de 2013, 2014 e 2015, nas categorias Infantil e Juvenil; os títulos de campeão Sul-Brasileiro de 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017, nas categorias Infantil, Juvenil e Júnior; e a medalha de bronze no Campeonato Mundial Escolar, disputado em Budapeste, na Hungria, no ano passado. Mesmo com pouca idade, o curitibano figura entre os 10 melhores nadadores do país em três rankings de 2017: 200m livre (10º), 200m medley (4º) e 100m livre (8º).

Com as principais competições do calendário nacional começando a partir de abril, mês em que completará 18 anos, o curitibano terá uma agenda cheia, com destaque para o Campeonato Brasileiro Absoluto – Troféu Maria Lenk, que será disputado entro os dias 16 e 21 de abril, no Rio de Janeiro (RJ); o Campeonato Brasileiro Júnior de Inverno, entre os dias 27 e 30 de junho, em Curitiba (PR); o Campeonato Brasileiro Absoluto – Troféu José Finkel, com data a confirmar, evento seletivo para o Campeonato Mundial de Piscina Curta; e o Campeonato Brasileiro Júnior de Verão, que será realizado em São Paulo (SP), entre os dias 05 e 08 de dezembro.

“Esse será um ano muito importante para a minha carreira. Terei a oportunidade de participar de vários campeonatos de altíssimo nível, entre eles o Troféu Maria Lenk e o Troféu José Finkel, as duas principais competições da natação brasileira. Estou treinando forte para melhorar meu tempo e, consequentemente, alcançar resultados expressivos”, comenta Arthur.

Como não poderia ser diferente, o grande sonho do “Aquaman brasileiro” é virar um nadador profissional e disputar os Jogos Olímpicos. “Eu treino muito para isso. Sei que depende só de mim e darei o meu máximo para atingir essas metas pessoais. Representar o Brasil em uma Olimpíada será algo fantástico, e eu vou continuar trabalhando com muito foco para chegar lá”, completa o nadador.

 

Posts Relacionados

Seleção Brasileira vitoriosa é homenageada na exposição A Primeira Estrela

Museu do Futebol vai exibir jogo final da Copa de 1958

Paraná recebe as promessas olímpicas da Natação no Brasileiro Junior