Bailarino paulista com deficiência conquista a Alemanha

2 de abril de 2019 Artes e Cultura
Bailarino paulista com deficiência conquista a Alemanha

Iniciativa brasileira para bailarinos com deficiência conquista a Alemanha

ABABTG leva participantes do Encontro Para-Dançar para temporada internacional

Mais do que um projeto de inclusão social, o Encontro Para-Dançar é uma iniciativa que valoriza e revela o talento de artistas da dança que tenham alguma deficiência física ou intelectual. A ação, idealizada pelo produtor e bailarino Jorge Schneider e promovida pela ABABTG, já teve três edições com a participação de grupos e bailarinos de diversas regiões do Brasil. A repercussão deste trabalho ultrapassou as fronteiras nacionais em 2019, dando oportunidade a participantes do Para-Dançar de compartilharem as suas experiências e produções com o público alemão e artistas europeus no evento Tanz Begegnungen, realizado de 4 a 7 de abril em Karlshure.

O intercâmbio internacional faz parte da quarta edição do Encontro Para-Dançar. Em 2019, além da temporada na Alemanha, o evento ampliará a sua atuação com atividades em Ponta Grossa e Curitiba. Apresentações, oficinas e debates estão previstos para a programação que é voltada a dançarinos, professores, coreógrafos, empreendedores, profissionais da saúde e aos que trabalham e incentivam a dança realizada por essas pessoas.

Para a Alemanha, viajarão os bailarinos Marcos Abranches, Edu O. e a Cia Gira Dança. Marcos é portador de deficiência física, paralisia cerebral, dançarino e coreógrafo, que já participou de diversos eventos e festivais de dança no Brasil e no exterior. Edu também é portador de deficiência físca, é Professor da Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia (UFBA) com Mestrado em Dança e cursando Doutorado. É pesquisador no grupo de pesquisa PROCEDA – Processos Corporeográficos e Educacionais em Dança. A Cia Gira Dança, de Natal, é uma companhia de dança contemporânea com mais de 10 anos de história e a proposta artística de ampliar o universo da dança utilizando o conceito do corpo diferenciado.

A viagem desses profissionais foi possível graças a parceria consolidada entre a ABABTG e as alemãs SoloConnection e Internationales Solo-Tanz-Theater Festival Stuttgart. “As nossas iniciativas não visam promover qualquer tipo de ação humanitária mas, sim, integrar e desenvolver as potencialidades desses artistas. A dança inclusiva acontece no mundo desde a década de 60 e há muitos bailarinos para os quais deseja-se oportunizar um espaço para criar convívio, ampliar sentidos e partilhar poéticas. A viagem para a Alemanha surgiu como resultado desse trabalho”, comemora o produtor Jorge Schneider.

Conheça mais sobre os artistas

Edu O. : Professor da Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Doutorando pelo Programa Multiinstitucional e Multidisciplinar Difusão do Conhecimento, e com Mestrado em Dança pelo Programa de Pós-Graduação em Dança da UFBA (2014). Pesquisador no grupo de pesquisa PROCEDA – Processos Corporeográficos e Educacionais em Dança (UFBA), atuando na linha de pesquisa Políticas e Processos Educacionais. Dançarino e coreógrafo, integrante do Grupo X de Improvisação em Dança e desde 2006, paralelamente a este grupo, desenvolve trabalhos artísticos independentes.

Marcos Abranches: Portador de deficiência física, paralisia cerebral, dançarino e coreógrafo. Em 2003 integrou-se à Cia FAR 15, atuou nos espetáculos Senhor dos Anjos; Jardim de Tântalo e Metamorfose de Franz Kafka, todos coreografados e dirigidos por Sandro Borelli e Sônia Soares. Incentivado por Phillipe Gemet, desenvolveu um trabalho coreográfico com mais duas bailarinas e fundou o grupo Vidança apresentando a peça D…Equilíbrio, que posteriormente se transformou em um solo, com mais de, até hoje, 100 apresentações. Participou do Kulturdifferenztans, em Colônia (Alemanha) e Crossings Dance Festival em Dusseldorf (Alemanha), apresentado Via sem Regra sob direção de Gerda König. Atuou na peça Trem Fantasma, uma adaptação, em São Paulo – Brasil, da obra Navio Fantasma de Wagner, dirigido por Christoph Schligensielf, o que lhe rendeu um convite para atuar na ópera teatralizada, Vida e Obra de Joana D’Arc, no Deutsch Oper Berlin.

Cia Gira Dança: A Giradança é uma companhia de dança contemporânea formada por bailarinos com diferentes corpos que tem como proposta artística ampliar o universo da dança por meio de uma própria linguagem focada no conceito do corpo diferenciado como ferramenta de experiências. O grupo está sediado em Natal desde 2005, sendo fundado pelos bailarinos Anderson Leão e Roberto Morais e teve a sua estréia nacional na Mostra Arte, Diversidade e Inclusão Sócio Cultural – realizada no Rio de Janeiro. Desde então, a Gira Dança tem se apresentado em palcos de todo o Brasil com um trabalho que quebra preconceitos, limites preestabelecidos e cria novas possibilidades dentro da dança contemporânea. Juntamente com o trabalho corporal, os bailarinos usam a sua arte para incitar os espectadores a discutir os limites do corpo e desenvolver iniciativas sociais, como palestras e workshops em instituições de ensino e organizações corporativas.

ABABTG – A atual Associação Brasileira de Apoiadores Beneméritos do Teatro Guaíra foi fundada há 12 anos, na cidade de Curitiba. Na época denominada Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra, ela surgiu com o propósito de fortalecer a dança e demais artes motivando uma ligação sinérgica entre os setores público e privado. Durante esse período foram realizados diversos projetos culturais, com repercussão local, nacional e internacional, que promoveram ações de formação, atualização, divulgação, fomento e democratização das artes em suas diversas linguagens. A atual nomenclatura foi assumida recentemente, para adaptar-se aos novos níveis de atividades operacionais e aos novos mercados de atuação da ABABTG.


Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.