Concerto – Orquestra de Sopros Banda Filarmônica do Rio de Janeiro – Theatro Municipal do Rio de Janeiro – 03 de junho

Bravo Ópera!

Antonio Seixas, regência

Mariana Gomes, soprano

Lara Cavalcanti, mezzo-soprano

 

A Orquestra de Sopros Banda Filarmônica do Rio de Janeiro comemora seus 8 (oito) anos de fundação apresentando o espetáculo “Bravo Ópera!” no dia 03 de junho (domingo), às 11h30, na Série “Domingo a R$1,00” no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Neste concerto serão apresentados, sob a regência do Maestro Antonio Seixas, algumas das Aberturas, Árias e Duetos mais famosos de grandes óperas como Aida, Carmen, O Guarani, O Barbeiro de Sevilha, A Viúva Alegre e La Traviata, entre outras. O espetáculo terá as participações especiais da soprano Mariana Gomes e da mezzo-soprano Lara Cavalcanti.

 

SERVIÇO

Bravo Ópera! Banda Filarmônica do Rio de Janeiro

Antonio Seixas, regência Mariana Gomes, Soprano Lara Cavalcanti, Mezzo Soprano Theatro Municipal do Rio de Janeiro Praça Marechal Floriano S/N – Centro

03 de junho de 2018

Horário – 11h30

Ingresso – R$1,00 (Um real)

PROGRAMA

Overture to Candide – L. Bernstein (Transc. Clare Grundman) – Homenagem aos 100 anos de nascimento

Marcha Triunfal da Ópera “Aida” – G. Verdi (Transc. Franco Cesarini)

“O mio bambbino caro” da Ópera “Gianni Sichi” – G. Puccini

Abertura da Ópera “Carmen” – G. Bizet

“Habanera” da Ópera “Carmen” – G. Bizet – Lara Cavalcanti

Abertura da Ópera “O Guarani” – A. C. Gomes (Transc. Herbert Clarke)

“Quando m’en vo” da Ópera “La Boheme” – G. Puccini

Abertura da Ópera “O Barbeiro de Sevilha” – G. Rossini (Transc. Franco Cesarini)

“Mon coeur s`ouvre a ta voix” da Ópera “Sansão e Dalila” – C. Saint Saens

Barcarolle – J. Offenbach

Seleções da Ópera “A Viúva Alegre” – F. Lehar (Transc. Eiji Suzuki)

 

Orquestra de Sopros Banda Filarmônica do Rio de Janeiro

A Orquestra de Sopros Banda Filarmônica do Rio de Janeiro – BFRJ é uma associação cultural sem fins lucrativos que tem como objetivo principal a execução da música para sopros e percussão em seu mais alto nível.

Composta por 60 músicos, a BFRJ tem levado, desde sua fundação em 2010, música de qualidade a todos os estratos da sociedade tendo se apresentado em diversos espaços culturais e eventos importantes no cenário cultural do Estado do Rio de Janeiro como: Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Sala Cecília Meireles, Teatro Oi Casa Grande, Teatro João Caetano, Imperator – Centro Cultural João Nogueira, Teatro Municipal de Niterói, Casa de Rui Barbosa, Biblioteca Parque de Manguinhos, Festival Villa-Lobos, Rio Cello Encounter, O Rio é Sax Festival e Projeto Candelária, entre outros.

Junto à BFRJ apresentaram-se artistas nacionais e internacionais das mais variadas vertentes como: João Donato (piano), Nivaldo Ornelas (saxofone), Mauro Senise (saxofone), Jacques Mauger (trombone – França), Friedrich Kleinhapl (violoncello – Áustria), Quinteto Rubato (Espanha), Daniel Guedes (violino), Grupo Água de Moringa, Márcio Gomes (cantor), Clarice Niskier (atriz), Carlinhos de Jesus (bailarino) e Bateria mirim da Beija Flor.

Vem realizando diversas encomendas e estreias mundiais e nacionais de obras originais para orquestra de sopros incentivando compositores, no Brasil e no exterior, a ampliar o repertório para esta formação instrumental.

A Direção Artística e Regência da Banda Filarmônica do Rio de Janeiro estão a cargo do Maestro Antonio Seixas.

Antonio Seixas

Direção Artística e Regência

Doutorando em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde atuou como Professor de Trombone e Tuba nos períodos de 2001 a 2004 e 2006-2007, é trombonista baixo da Orquestra Sinfônica Brasileira desde 1997.

Estudou trombone com Sérgio de Jesus e Gilberto Gagliardi, no Brasil, e Per Brevig, nos Estados Unidos. Em 1997 foi vencedor do III Prêmio Weril para Jovens Solistas de Instrumentos de Sopro. Foi vencedor, por duas vezes, do Concurso para Solistas da Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFRJ. Apresentou-se ainda, como solista, com a Orquestra Sinfônica de Sergipe, Banda Sinfônica da CSN, Banda Sinfônica do Colégio Salesiano, Grupo de Metais e Percussão da UFRJ e UFRJazz Ensemble. Mantém intensa atividade didática ministrando cursos e master classes por todo o Brasil.

Entre os grupos que já dirigiu destacam-se: Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica Nacional da UFF, Orquestra Sinfônica do Recife, Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem, Camerata Bosísio, Banda Sinfônica de

Barra Mansa e Conjunto de Metais da Orquestra Petrobrás Sinfônica, no Brasil, Banda de Música de Pontevedra, Banda de Música de Barro e Galicia Brass Band, na Espanha, e Orquestra de Sopros da Universidade de Aveiro, Banda Militar do Porto, Banda Sinfônica de Aveiro, Banda Filarmônica Progresso Matos Galamba e Associação Recreativa Eixense, em Portugal.

Atualmente é Diretor Artístico e Regente Titular da Banda Filarmônica do Rio de Janeiro e membro da WASBE (World Association for Symphonic Bands and Ensembles

Posts Relacionados

Parceiros da Educação lanca Campanha de financiamento coletivo para escolas da rede pública de SP

INSTITUTO AYRTON SENNA INAUGURA EXPOSIÇÃO “O LEGADO DE UM ÍDOLO” NO METRÔ DE SÃO PAULO

ABERTAS AS INSCRIÇÕES DA 4ª MOSTRA DE CORAIS DE FLORIANÓPOLIS