CPB lança nesta terça-feira, 16, projeto com bolsas de ensino superior para atletas paralímpicos

 CPB lança nesta terça-feira, 16, projeto com bolsas de ensino superior para atletas paralímpicos

Programa Atleta Cidadão visa capacitar esportistas desde a iniciação e terá detalhes divulgados em evento no CT Paralímpico, em São Paulo

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) lança nesta terça-feira, 16, às 15h, o Programa “Atleta Cidadão”. Um evento no CT Paralímpico, em São Paulo, marcará a apresentação do projeto. No evento, haverá a divulgação de um programa de bolsas de estudo de graduação no formato à distância (EAD). Maiores detalhes e o edital serão conhecidos na ocasião.  A imprensa interessada na cobertura deve confirmar presença ao e-mail imp@cpb.org.br.

O Programa “Atleta Cidadão” tem como objetivo estimular o desenvolvimento pleno da cidadania dos atletas em todas as fases da carreira (iniciação, alto rendimento e pós-carreira) por meio da capacitação e orientação profissional. Para viabilizar o Atleta Cidadão, o CPB estabeleceu parcerias com instituições que realizam tais capacitações. Atualmente, o Comitê trabalha em conjunto com a Estácio, o Ernest Young Institute, a EF English Live, a Lee Hatch Harrison e a Adecco.

A apresentação contará com a presença de dois medalhistas paralímpicos: o piauiense Antônio Delfino, ouro nos 200m e 400m T46 (amputados de braço) em Atenas 2004 e prata nos 400m em Sydney 2000, e a goiana Adria Jesus, bronze no vôlei sentado feminino no Rio 2016. Os dois são os primeiros atletas a concluírem o ensino superior por meio da iniciativa do CPB.

O Atleta Cidadão visa aperfeiçoar o antigo projeto “Transição de Carreiras”. Criado em setembro de 2015, o “Transição” atendeu cerca de 250 atletas em sua fase final de trajetória. A ideia, no momento, é fazer a mentoria enquanto os esportistas ainda estão na ativa. Os esportistas recebem suporte por meio de cursos de graduação, idiomas e programas de mentoria e coaching.

“Entendemos que o processo de capacitação da pessoa com deficiência tem um papel vital na sua formação como indivíduo. Por este motivo, demos uma nova dimensão ao Programa Atleta Cidadão, com a intenção de abrir o leque de oportunidades a estes atletas desde o seu período ativo, o que dará a eles uma nova perspectiva e reduzirá impactos da saída do status quo quando o esportista decidir encerrar sua carreira”, disse Mizael Conrado, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro.

Posts Relacionados

Decisão da Liga Nacional de Handebol será no Pinheiros

Blogueiro pedalará 3mil km para ajudar pessoas com deficiência física

VI Congresso Paradesportivo Internacional acontecerá pela primeira vez no Centro de Treinamento Paralímpico