De motorista de Kombi a empresário de 10 milhões

De motorista de Kombi a dono de empresa de R$ 10 milhões: conheça Eduardo Ventura

No mundo dos negócios desde os 19 anos, o empreendedor passou por três companhias até fundar a Aqcez


Quando conta com bom humor a própria história, Eduardo Ventura faz questão de ressaltar que ela só é divertida porque os perrengues ficaram no passado. Da empresa que prestava serviços de cabeamento até a fundação do escritório de arquitetura corporativa Aqcez (www.aqcez.com.br) foram quase 20 anos de trabalho, uma experiência exaustiva à frente de um restaurante, muitas noites sem dormir, almoços de 50 centavos e escritórios “fantasmas”.

A carreira de empreendedor começou aos 19 anos quando, após a demissão de um estágio, Eduardo começou a trabalhar como motorista de Kombi numa empresa que fazia cabeamento. Como ficava muito tempo parado esperando a equipe fazer as instalações, aprendeu o ofício. Em poucos meses, já era o encarregado.

Quando surgiu um projeto grande demais para a empresa em que trabalhava assumir, chamou um amigo e abriu o seu primeiro negócio no setor de cabeamento. A sociedade deu certo e a companhia virou referência no mercado. No entanto, o sucesso financeiro aliado à juventude dos sócios fez com que, no final dos anos 90, Eduardo vendesse sua parte. Com o dinheiro, tirou um ano sabático, mas logo a inquietude e a vontade de montar um novo empreendimento reapareceram.

Foi então que começou do zero, de novo, no mesmo ramo, com a irmã encarregada do administrativo da nova empresa e a sede na sala da casa dela. “Logo, clientes antigos ouviram falar da novidade e começaram a nos procurar”, narra o empresário. Mas a empreitada durou pouco. Em 2001, com a economia brasileira em crise, o negócio não resistiu. Ainda assim, a semente da Aqcez foi plantada: “Foi durante um projeto nessa época que eu conheci o Marcos Dinóla, meu atual sócio”, diz o empreendedor.
Para enfrentar a crise, Eduardo pensou: “qual mercado nunca fica sem demanda?”. Comida. Um amigo havia montado um restaurante e Eduardo assumiu – mesmo sem nunca ter nem fritado um ovo. Instalado próximo a um call center onde trabalhavam seis mil funcionários, em pouco tempo o Perfil Grill, como era chamado, vendia 600 refeições por dia.
Porém, a competitividade e a rotina do restaurante, somadas ao reaquecimento da economia, resultaram na vontade de um novo negócio. O parceiro, dessa vez, seria Marcos Dinóla, também empresário com experiência no ramo da construção civil e que voltava a São Paulo após um período no interior. A escolha foi criar um escritório especializado em projetos turnkey, quando uma só empresa é responsável por todas as etapas de uma obra – modelo que tem se popularizado no mercado corporativo. Assim nasceu a Aqcez.
Sem capital para começar o empreendimento, a solução foi usar uma obra como escritório enquanto se preparavam para a próxima – os clientes, que à época não sabiam disso, hoje riem da história.
“Demoramos quase dez meses até termos nossa própria sede”, lembra Eduardo. Mesmo assim, o faturamento no primeiro ano chegou perto de R$ 1 milhão. Cinco anos depois, a Aqcez fechou 2016 com rendimento de R$ 10 milhões e tem a perspectiva de dobrar o valor em 2017. “Além disso, temos 40 funcionários e pelo menos 200 colaboradores indiretos”, afirma o sócio-fundador. Após tantas reviravoltas, ele conclui: “Tudo é uma questão de dedicação, estudo e saber como montar uma boa equipe”.

Sobre a Aqcez
Escritório de arquitetura especializado no mercado corporativo. Criada por empreendedores com mais de 20 anos de experiência, a Aqcez atende empresas de diferentes portes e setores. Além de se dedicar a projetos de arquitetura que contemplam harmonia entre espaços e pessoas segundo as especificidades de cada cliente, o escritório ainda leva em consideração o contexto imobiliário para orientar quanto à otimização das instalações e operação. www.aqcez.com.br.
Posts Relacionados

Vocalista do CPM 22 revela seu lado empresário

Jovens conquistam investidores e inauguram espaço de eventos em SP

inFlux anuncia plano de expansão para a região de Campinas (SP)