Dia Mundial do Refugiado (20/6): Conheça a jornalista que trabalha com crise migratória em várias partes do mundo

Conheça a jornalista que trabalha com refugiados em várias partes do mundo

 Alethea Rodrigues atualmente está cursando Relações Internacionais e já atuou em centros de refugiados no Brasil, Grécia, Haiti e Líbano

Em 2018, segundo dados da Agência da ONU para Refugiados (Acnur), estima-se que mais 65 milhões de pessoas no mundo se encontram em situação de refúgio. A maioria, cerca de 40%, são provenientes da Síria, considerada a zona de conflito armado mais perigosa atualmente. No entanto, o número de trabalhadores e voluntários em campos de refúgio não chega a 10% desse total.

Foi pensando nessa realidade de perseguições, guerras e terrorismo, que a jornalista e estudante do último ano do curso de Relações Internacionais do Centro Universitário Internacional Uninter (Polo Penha – SP), Alethea Rodrigues, 31 anos, passou a trabalhar no Brasil e pelo mundo a fora, desde 2015. Entre seus planos para o futuro está um mestrado em Cooperação Internacional para o Desenvolvimento na Espanha. “Para aprimorar o conhecimento e ter uma atuação mais assertiva da área, acredito ser fundamental estudar as relações políticas, econômicas e sociais entre diferentes países”, completa Alethea, que atualmente está morando na Irlanda.

Além de fazer parte do Instituto de Reintegração do Refugiado Brasil (ADUS) e do Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), ambos localizados na capital paulista, Alethea também colabora com o portal MigraMundo, no qual registra todos os seus projetos e viagens. “O curso de Relações Internacionais me possibilitou mudar de área e trabalhar com crise migratória. Quando iniciei essa jornada, a guerra da Síria estava no auge e choviam imigrantes sírios no Brasil, especialmente em São Paulo”, explica Alethea.

 

Dia Mundial do Refugiado: ajudar a quem precisa

Após indicação da coordenadora do curso de Relações Internacionais da Uninter, Caroline Cordeiro, Alethea trabalhou em ONGs parceiras no Haiti, nas quais realizou atividades com crianças e colaborou na reestruturação de orfanatos e na construção de uma escola. Atuou em campos de refugiados em Atenas (Grécia), no processo de triagem e distribuição de diversos itens aos assistidos. Já no Líbano (fronteira com a Síria), desenvolveu um projeto com crianças que perderam os pais durante a guerra e realizou pesquisas sobre o assunto para diversas instituições.

O Dia Mundial do Refugiado é celebrado no dia 20 de junho. Para conscientizar os governos e a população mundial para o grave problema que atinge os refugiados, a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu a data em 2000.  As regiões no mundo com mais refugiados são o Oriente Médio, o Sudeste Asiático e a África Oriental. Segundo o Parlamento Europeu, os países que mais oferecem proteção aos refugiados são: Suécia, Alemanha, França, Itália e o Reino Unido.

Posts Relacionados

​DOVE LANÇA 2ª ETAPA DO PROJETO PELA AUTOESTIMA EM PARCERIA COM CARTOON NETWORK

Debate sobre inserção do jovem no mercado de trabalho reúne representantes de presidenciáveis no Teatro CIEE

Jovem paciente do Boldrini recebe premiação na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas