Exposição marca o início de novo projeto cultural no Centro de São Paulo

EXPOSIÇÃO MARCA O INÍCIO DE NOVO PROJETO CULTURAL NO CENTRO DE SÃO PAULO

Casa da Boia Cultural apresenta a sua primeira exposição, baseada na história de Rizkallah Jorge Tahan, com um recorte do desenvolvimento da cidade entre o final do século XIX e início do século XX

A Casa da Boia, um dos mais tradicionais estabelecimentos comerciais de São Paulo, comemora os 120 anos de fundação com um projeto dedicado à memória e às artes. Até o próximo dia 29 de junho, a Casa da Boia Cultural apresenta ao público a sua primeira exposição, intitulada “Entre papéis, fotografias e objetos: o acervo de Rizkallah Jorge Tahan”.

A mostra, com a curadoria da historiadora Renata Geraissatti Castro de Almeida, utiliza a trajetória do empresário Rizkallah Jorge Tahan, que fundou a Casa da Boia em 1898, para falar da influência dos imigrantes sírios e libaneses no desenvolvimento de São Paulo. A exposição reflete o momento da expansão da cidade, entre o final do século XIX e início do século XX, com o crescimento da construção civil e, consequentemente, da rede de saneamento básico.

“O sucesso dos negócios da Rizkallah Jorge e Cia – primeira denominação da Casa da Boia – tem um peso importante nessa fase da infraestrutura urbana, por meio do fornecimento de metais não ferrosos, hidráulicos e outros”, destaca Renata.

Entre os objetos históricos e curiosos apresentados ao público da mostra estão um catálogo de itens comercializados e os contratos de aluguel dos casarões construídos por Rizkallah Jorge. Além disso, estarão expostos recibos de suas ações de filantropia, que não se limitavam às instituições e pessoas de São Paulo. Em uma das correspondências, trocada com o prefeito de Alepo (Síria), durante a Primeira Guerra Mundial, o empresário trata de doações que pudessem garantir o fornecimento de alimentos para os moradores de sua cidade natal.

Além de todos esses documentos, fotografias e objetos, o público poderá conhecer a riqueza arquitetônica e o estilo art-nouveau do casarão centenário onde funcionará a exposição. Localizado na Rua Florêncio de Abreu, centro da capital paulista, o imóvel restaurado, considerado Patrimônio Cultural e Material de São Paulo, é a sede da Casa da Boia, uma loja que conta histórias e reúne um legado que mistura tradição, cultura e renovação, atendendo a uma clientela que vai muito além de São Paulo.

O lançamento da exposição e da Casa da Boia Cultural integram as comemorações dos 120 anos da Casa da Boia, que será celebrado no dia 18 de maio.
“Nosso objetivo é ir além de um conceito estático de espaço expositivo. Estamos abrindo espaços já existentes de nossa sede histórica para que sejam ocupados com mostras permanentes e temporárias. Buscamos uma integração ainda maior com as pessoas e comunidades que orbitam a nossa loja e têm na Casa da Boia uma referência para suas atividades”, resume Adriana Rizkallah, diretora da Casa da Boia Cultural.

Palestra
Descendente de libaneses, a historiadora Renata Geraissati Castro de Almeida se deparou com a trajetória do empresário Rizkallah Jorge Tahan durante a faculdade. A história é tema de sua tese de mestrado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e do doutorado em andamento na Universidade Estadual de São Paulo (Unicamp).

Com extensa documentação e baseada em seus estudos e descobertas, dentro da programação da exposição, Renata ministrará, no dia 6 de junho, das 14h às 16h, a palestra “Um artífice na urbanização paulistana: a atuação de Rizkallah Jorge em São Paulo, de 1895 a 1949″. Para participar, é necessário fazer a inscrição no site www.casadaboia.com.br.

História
 A Casa da Boia foi fundada em 1898. Inicialmente denominada Rizkallah Jorge e Cia, nome de seu fundador, um imigrante Sírio, da cidade de Alepo, foi a primeira fundição de cobre do País e, possivelmente, da América do Sul.

Começou suas atividades com a fabricação de artefatos de decoração, como arandelas, gradis e candelabros. No início do século XX, passou a produzir intensivamente materiais sanitários, uma demanda de saúde pública, em razão das inúmeras epidemias que ocorriam na cidade, entre elas a de febre amarela.

Dessa forma, além dos sifões, canos e caixas de descarga, a comercialização de boias de caixas d’água foi decisiva para consolidar o nome da empresa em todo o Brasil. Ao longo de seus 120 anos, se transformou de indústria em revenda, tendo na venda por atacado a base de seu modelo de negócios.

Serviço:

Exposição: “Entre papéis, fotografias e objetos: o acervo de Rizkallah Jorge Tahan”
Data:              De segunda-feira a sexta-feira, de 14 de maio a 29 de junho de 2018
Horário:         das 10 às 16h30
Local:             Casa da Boia Cultural
Endereço:      Rua Florêncio de Abreu, 119, Centro, São Paulo
A entrada na exposição é gratuita. Para a palestra é necessário fazer a inscrição no site www.casadaboia.com.br
Posts Relacionados

11º Bienal da UNE acontece na Bahia para reencontrar o Brasil num grande festival

Músicos de São Paulo são selecionados para integrar a Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro

Filme “A Pedra da Serpente” é escolhido para o Los Angeles Brazilian Film Festival