Exposição marca o início de novo projeto cultural no Centro de São Paulo

EXPOSIÇÃO MARCA O INÍCIO DE NOVO PROJETO CULTURAL NO CENTRO DE SÃO PAULO

Casa da Boia Cultural apresenta a sua primeira exposição, baseada na história de Rizkallah Jorge Tahan, com um recorte do desenvolvimento da cidade entre o final do século XIX e início do século XX

A Casa da Boia, um dos mais tradicionais estabelecimentos comerciais de São Paulo, comemora os 120 anos de fundação com um projeto dedicado à memória e às artes. Até o próximo dia 29 de junho, a Casa da Boia Cultural apresenta ao público a sua primeira exposição, intitulada “Entre papéis, fotografias e objetos: o acervo de Rizkallah Jorge Tahan”.

A mostra, com a curadoria da historiadora Renata Geraissatti Castro de Almeida, utiliza a trajetória do empresário Rizkallah Jorge Tahan, que fundou a Casa da Boia em 1898, para falar da influência dos imigrantes sírios e libaneses no desenvolvimento de São Paulo. A exposição reflete o momento da expansão da cidade, entre o final do século XIX e início do século XX, com o crescimento da construção civil e, consequentemente, da rede de saneamento básico.

“O sucesso dos negócios da Rizkallah Jorge e Cia – primeira denominação da Casa da Boia – tem um peso importante nessa fase da infraestrutura urbana, por meio do fornecimento de metais não ferrosos, hidráulicos e outros”, destaca Renata.

Entre os objetos históricos e curiosos apresentados ao público da mostra estão um catálogo de itens comercializados e os contratos de aluguel dos casarões construídos por Rizkallah Jorge. Além disso, estarão expostos recibos de suas ações de filantropia, que não se limitavam às instituições e pessoas de São Paulo. Em uma das correspondências, trocada com o prefeito de Alepo (Síria), durante a Primeira Guerra Mundial, o empresário trata de doações que pudessem garantir o fornecimento de alimentos para os moradores de sua cidade natal.

Além de todos esses documentos, fotografias e objetos, o público poderá conhecer a riqueza arquitetônica e o estilo art-nouveau do casarão centenário onde funcionará a exposição. Localizado na Rua Florêncio de Abreu, centro da capital paulista, o imóvel restaurado, considerado Patrimônio Cultural e Material de São Paulo, é a sede da Casa da Boia, uma loja que conta histórias e reúne um legado que mistura tradição, cultura e renovação, atendendo a uma clientela que vai muito além de São Paulo.

O lançamento da exposição e da Casa da Boia Cultural integram as comemorações dos 120 anos da Casa da Boia, que será celebrado no dia 18 de maio.
“Nosso objetivo é ir além de um conceito estático de espaço expositivo. Estamos abrindo espaços já existentes de nossa sede histórica para que sejam ocupados com mostras permanentes e temporárias. Buscamos uma integração ainda maior com as pessoas e comunidades que orbitam a nossa loja e têm na Casa da Boia uma referência para suas atividades”, resume Adriana Rizkallah, diretora da Casa da Boia Cultural.

Palestra
Descendente de libaneses, a historiadora Renata Geraissati Castro de Almeida se deparou com a trajetória do empresário Rizkallah Jorge Tahan durante a faculdade. A história é tema de sua tese de mestrado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e do doutorado em andamento na Universidade Estadual de São Paulo (Unicamp).

Com extensa documentação e baseada em seus estudos e descobertas, dentro da programação da exposição, Renata ministrará, no dia 6 de junho, das 14h às 16h, a palestra “Um artífice na urbanização paulistana: a atuação de Rizkallah Jorge em São Paulo, de 1895 a 1949″. Para participar, é necessário fazer a inscrição no site www.casadaboia.com.br.

História
 A Casa da Boia foi fundada em 1898. Inicialmente denominada Rizkallah Jorge e Cia, nome de seu fundador, um imigrante Sírio, da cidade de Alepo, foi a primeira fundição de cobre do País e, possivelmente, da América do Sul.

Começou suas atividades com a fabricação de artefatos de decoração, como arandelas, gradis e candelabros. No início do século XX, passou a produzir intensivamente materiais sanitários, uma demanda de saúde pública, em razão das inúmeras epidemias que ocorriam na cidade, entre elas a de febre amarela.

Dessa forma, além dos sifões, canos e caixas de descarga, a comercialização de boias de caixas d’água foi decisiva para consolidar o nome da empresa em todo o Brasil. Ao longo de seus 120 anos, se transformou de indústria em revenda, tendo na venda por atacado a base de seu modelo de negócios.

Serviço:

Exposição: “Entre papéis, fotografias e objetos: o acervo de Rizkallah Jorge Tahan”
Data:              De segunda-feira a sexta-feira, de 14 de maio a 29 de junho de 2018
Horário:         das 10 às 16h30
Local:             Casa da Boia Cultural
Endereço:      Rua Florêncio de Abreu, 119, Centro, São Paulo
A entrada na exposição é gratuita. Para a palestra é necessário fazer a inscrição no site www.casadaboia.com.br
Posts Relacionados

Campus Party revela importante achado arqueológico húngaro do século XI

Katz investe no desenvolvimento de Belmonte, na Bahia

Tablado promove ciclo de palestras de introdução à história do teatro ocidental com importantes nomes das artes cênicas