Jovem de projeto social de música é finalista do Concurso Nacional de Piano Yamaha

Jovem da Orquestra Praticatatum é finalista do

 Concurso Nacional de Piano Yamaha

A integrante da Orquestra Praticatatum e graduanda em Farmácia, Stephany dos Santos Honorato da Silva, 17 anos, é uma das finalistas do Concurso Nacional de Piano Yamaha. A jovem concorre com outros nove participantes, na categoria de 15 a 17 anos. A premiação possui mais uma categoria, com alunos de 12 a 14 anos.

A primeira fase eliminatória do concurso foi a gravação de um vídeo disponibilizado no YouTube (assista aqui: https://www.youtube.com/watch?v=fDMKVnaFe74 ). O vídeo da estudante foi selecionado entre os milhares postados na rede social. A 2° fase é a final do concurso e será presencial. Os candidatos passarão por uma avaliação de performance tocando o instrumento.

Stephany participa da Orquestra Praticatatum desde os 11 anos. O projeto tem proporcionado muitas mudanças em sua vida. “Dedico minhas horas vagas para a música, sendo o Praticatatum um meio de aprendizagem e convívio social muito importante, não só para mim, mas para toda a comunidade do bairro João XXIII”, ressalta.

Antes de integrar o projeto, a jovem fazia aulas de flauta doce na escola. “Foi lá que minha professora me incentivou a tocar teclado. Depois disso, conheci o Praticatatum e me apaixonei pela música. Hoje, percebo o quanto esse projeto me fez bem, graças a todo o conhecimento que adquiri com o conjunto de professores de lá, em especial o professor Luiz Carlos”. Sobre o concurso, está com boas expectativas. “Darei meu melhor.”

A estudante concorre no Concurso Yamaha pelo Centro Musical Morumbi, escola parceira do Praticatatum que disponibiliza bolsas de estudos para os integrantes que se destacam no projeto de educação e música.
O maestro da Orquestra Praticatum, Luiz Carlos José rodrigues Filho, também professor de Stephany no Centro Musical Morumbi, elogia a determinação da pupila. “Ela é uma aluna exemplar, dedicada aos estudos e sabe bem seu compromisso com sua comunidade e seu papel dentro do Praticatatum. Já é uma multiplicadora de conhecimento, ajudando os menores no aprendizado e sendo uma referência para os estudantes iniciantes. Stephany agarrou as oportunidades que teve e com seu empenho mostra um Brasil que dá certo por meio da educação e da cultura.”

 

Para o diretor da Orquestra Praticatatum, Arlen Ribeiro, a participação da jovem já é uma vitória. “Certamente é uma vitória também do projeto, do ambiente que gera oportunidades e onde aprendemos que a música é um exercício coletivo, que a contribuição do aprendizado passa pelos estudantes, educadores, assistentes e tantas pessoas envolvidas.”

As finais serão abertas ao público e acontecerão nos dias 29 (alunos de 12 a 14 anos) e 30 de julho (estudantes de 15 a 17), das 12h30 às 14h, no Auditório na Universidade Paulista (UNIP) – Unidade Bacelar, durante o evento do Centro de Apoio às Escolas de Música (CAEM). O endereço é R. Dr. Bacelar, 1212 – Vila Clementino, São Paulo.

Os vencedores das duas categorias e suas respectivas escolas ganharão um piano acústico Yamaha. Os 2° e 3° lugares receberão um piano digital. Todas as escolas receberão certificado de participação do concurso.

 

Sobre a Associação Praticatatum

Idealizada por Arlen Ribeiro e pelo maestro Luiz Carlos José Rodrigues Filho, com coordenação técnica de Valdo Andrade, a Associação Praticatatum vem, desde 2008, trabalhando para desenvolver, por meio da música, a sensibilidade, a cidadania, as habilidades artísticas e intelectuais dos jovens.

Participam da iniciativa cerca de 300 estudantes, entre 6 e 21 anos, estudando percussão, musicalização infantil (xilofone, canto-coral e flauta-doce), violão, guitarra, contrabaixo, teclado, instrumentos de sopros e cordas, além da discotecagem com tecnologia musical informatizada.

Com patrocínio das empresas Kimberly Clark, Dr.Oetker e Brasmetal, a Associação possui uma orquestra formada por estudantes de 14 a 21 anos, residentes nas comunidades da região Oeste da cidade de São Paulo. O público atendido é formado por crianças, jovens e adultos que se dividem nas entidades parceiras: Liga Solidária, Nosso Lar I e II e Fundação Julita.

Os jovens recebem informações musicais diversas, que vão da música popular à erudita, buscando referências, não somente dentro das salas de aulas, mas também frequentando eventos, shows e concertos musicais nos teatros da cidade de São Paulo.

Luiz Carlos José Rodrigues Filho ressalta que a importância do PRATICATATUM está, principalmente, no fato de ser a única fonte de cultura, no bairro, para esses jovens. “O projeto abre portas para que eles possam conhecer outros lugares, conviver com outras pessoas de diferentes classes sociais e não fiquem presos apenas à realidade de onde vivem”, diz.

“O conhecimento musical permite melhorar a concentração, o respeito mútuo, o trabalho em grupo, o desenvolvimento da coordenação motora, a percepção auditiva, o pensamento crítico e o contato com uma realidade repleta de manifestações culturais. Esses jovens talentos realizam um trabalho admirável. É muito importante para eles serem reconhecidos e prestigiados também na região onde vivem”, afirma Arlen Ribeiro.
Praticatatum no Facebook
https://www.facebook.com/projetopraticatatum/?fref=ts

Instagram
https://www.facebook.com/projetopraticatatum/app/267091300008193/

Posts Relacionados

Custódia, primeiro longa metragem de Xavier Legrand , fenômeno na França entra em cartaz no Brasil

Crianças da associação beneficente da Allianz Seguros fazem apresentação de dança em SP

Musical infantojuvenil “Lá Dentro Tem Coisa” baseado nas canções de Adriana Calcanhotto estreia no Teatro Folha