Mateus Ribeiro vive Peter Pan no musical original da Broadway

Mateus Ribeiro vive o Peter Pan no musical original da Broadway

Ator faz o papel do protagonista na peça que estreia dia 8 de março, no Teatro Alfa

 

O ator Mateus Ribeiro, de 24 anos, vive o papel de Peter Pan no musical original da Broadway, que estreou pela primeira vez em palcos brasileiros, em São Paulo, dia 8 de março, no Teatro Alfa. A peça tem Daniel Boaventura no elenco, como Capitão Gancho, e é dirigida por José Possi Neto, que já produziu outros grandes musicais, como “O Musical Mamonas”, “Ghost – O Musical”, “Antes Tarde do que Nunca” e “Raia 30”.

É a primeira vez que um homem faz o papel do protagonista, que antes era representado somente por mulheres. “É sem dúvidas o trabalho mais difícil que já fiz. Um dos motivos é pela partitura musical ser feminina, muito aguda para um homem, e isso é um desafio”, afirma Mateus, que foi selecionado por meio de audições, em que disputou a vaga com mais de 4 mil candidatos.

Além de um espetáculo teatral, a peça também surpreende pela apresentação coreográfica dos atores. “Tem jazz, tem sapateado, e eu danço e canto voando também. Todo mundo está dançando no espetáculo, e tem muitos efeitos especiais que chamam a atenção”, revela o ator.

A história de Peter Pan conta sobre um menino que se recusa a crescer, e que certa noite espreita na janela da casa dos Darling, convidando Wendy e seus irmãos a aprenderem a voar. Com a ajuda da fada Sininho, Peter os leva à Terra do Nunca, um universo mágico cheio de seres maravilhosos. Mas o menino tem um inimigo, o Capitão Gancho – comandante de um grupo de piratas no seu temido navio – que tentará acabar com a felicidade das crianças.

O musical original é uma adaptação da peça de J.M. Barrie, de 1904, e chegou à Broadway em 1954, estrelado por Mary Martin. Ganhou três Tony Award, com melhor performance de uma atriz protagonista em um musical, melhor performance de ator destaque em musical e melhor técnico de palco.  A música original é de Mark Charlap, com música adicional de Jule Styne, e a letra é de Carolyn Leigh, com letra adicional de Betty Comden e Adolph Green.

Posts Relacionados

Secretaria Municipal de Cultura recebe propostas artísticas para a 15ª edição da Virada Cultural até 16 de dezembro

Lançamento Geek em SP: escritora Jadna Alana apresenta obra dia 16/12

Atriz Sienna Belle recebe homenagem no Prêmio Destaque Imprensa Digital 2018