Nega Duda canta clássicos de Clementina de Jesus no Programa Tardes Musicais

Nega Duda canta clássicos de Clementina de Jesus no Programa Tardes Musicais

O show faz parte de uma rica programação realizada pela Casa-Museu Ema Klabin no mês da Consciência Negra. Entrada franca

Nega Duda canta Rainha Quelé Foto: Aline Capobianco

A cantora Nega Duda canta inesquecíveis clássicos da produção musical de Clementina de Jesus, no próximo dia 3 de novembro, sábado, às 16h30, na Casa-Museu Ema Klabin, no Jardim Europa, em São Paulo. O show tem entrada franca.

No repertório estão clássicos de Clementina de Jesus, conhecida como Rainha Quelé. Entre eles:  Deus vos Salve Casa Santa, Fui Pedir as Almas Santas, Embala Eu,  Muriquinho Piquinino, São João Foi no Céu, Sereia, Beira Mar, Canto IV, Marinheiro Só, A velha do Acarajé, A coruja Comeu meu curió, Piedade, Ponto de Macumba Xangô e Na hora da Sede.

Influenciada pelos ensinamentos de sua mãe e sua vó, Nega Duda vem desde sua infância em São Francisco do Conde, cidade pertencente ao Recôncavo Baiano, vivenciando e absorvendo a cultura local, que traz dentre suas ricas manifestações culturais e religiosas, a Roda de Samba, o Candomblé e a culinária ancestral da tradição Angola. A partir de 2005, teve a fantástica experiência de levar o que aprendeu para outros espaços pelo mundo, acumulando vasta experiência como cantora do legítimo Samba de Roda.

O show da cantora Nega Duda é acompanhado por Jake Cunha e Anderson Rodrigues (percussão), Matheus Nascimento (violão) e Roberta Viana (leitura dramática e coro).

Sobre Clementina de Jesus:

Clementina de Jesus (Rainha Quelé) viveu de 1901 até 1987 e foi o reflexo de muitas mulheres negras de várias gerações e inspiração para tantas outras. Durante vinte anos atuou no  trabalho doméstico e da negação de outros espaços que conquistou com seu inegável talento e trabalho. Reverenciava e fortalecia os laços entre Brasil e a África através de cânticos religiosos em Iorubá e canções de romarias.

Com uma voz potente e inconfundível, Clementina resgatava essa ligação que nos difere de qualquer outro povo. Outro ponto que marcou sua musicalidade foi seu partido alto, transformando-a em uma figura icônica. De seus 86 anos, 24 foram dedicados à carreira artística, onde sua voz foi disseminada para o público geral. Considerada um símbolo de resistência do povo negro através da sua música.

Serviço:

Tardes Musicais: Nega Duda canta clássicos de Clementina de Jesus

Data: 3 de novembro, sábado

Horário: 16h30

Grátis

Livre

170 lugares

Visita livre ao museu: das 14h às 17h

Fundação Ema Klabin

Endereço: Rua Portugal, 43, Jardim Europa – São Paulo.  Tel: 55 11 3897-3232

www.emaklabin.org.br

Posts Relacionados

6ª Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra acontece em São Paulo de 19 a 21 de novembro

PREPARADÃO 2018: UM FESTIVAL DE ARTE E EDUCAÇÃO QUE JÁ NASCEU GRANDE E ABRIU NOVAS FRONTEIRAS PARA O ENEM

Ballet Nacional da Rússia apresenta maravilhoso “Romeu & Julieta”, nesta sexta-feira, em São Paulo