O Ateneu estréia segunda temporada no Rio de Janeiro

Em 1987, há 30 anos, um dos maiores diretores teatrais de todos os tempos do país, Carlos Wilson – o Damião, montou uma de suas peças de maior sucesso de crítica e público, O ATENEU, adaptação do romance de Raul Pompéia. O espetáculo, além de ganhar prêmios, revelou em suas montagens uma geração de atores que hoje em dia tem grande importância no cenário artístico, como Selton Mello, Du Moscovis, Marcelo Serrado, Leonardo Brício, Paulinho Moska, Otavio Muller, André Mattos, Guilherme Piva, Fernando Fernandes, Marcelo Valle, Paulinho Serra, Enrique Diaz, Bianca Comparato e tantos outros. Com música composta especialmente para a peça por Milton Nascimento e Fernando Brant e uma ficha técnica com profissionais premiados como o iluminador Aurélio de Simone e a figurinista Biza Vianna, O ATENEU marcou a história do teatro jovem e de toda uma geração. Como diz Paulinho Moska, mais que um espetáculo teatral O ATENEU é um movimento artístico que atravessou décadas e inspirou e formou plateias teatrais. E agora, em parceria com o teatro O Tablado e com o Clube de Regatas do Flamengo, entre outros parceiros, e com a premiada equipe técnica que fez parte da história do espetáculo, O ATENEU, de Carlos Wilson, volta aos palcos com a nova geração de atores da escola de teatro O Tablado. O espetáculo conta com 37 atores e uma equipe total de aproximadamente 60 profissionais, e é uma homenagem pelos trinta anos da primeira montagem. O espetáculo conta a trajetória do menino Sérgio, dentro de um internato no final do século 19. O internato é na verdade um pequeno mundo que reflete a sociedade e onde Sérgio vai viver suas primeiras amizades, a hipocrisia e o interesse nos relacionamentos, a descoberta do amor, a injustiça dos que mandam sobre os que obedecem até chegarmos a um final surpreendente.

Resgatar O ATENEU é mais do que fazer um espetáculo de qualidade e importância, mais do que levar ao palco um dos dez romances mais importantes da nossa história, único romance impressionista brasileiro. Mais do que apresentar uma geração de atores que já começa a aparecer com destaque no cenário artístico atual como Vitor Thiré, que acaba de sair da minissérie “Filhos da Pátria” direto para “Se Eu Fechar os Olhos Agora”, próximo projeto de minissérie da Rede Globo e Caio Manhente, ator principal da série de maior sucesso da TV a cabo entre os jovens (Detetives do Prédio Azul). Sua maior importância é registrar e homenagear um dos maiores encenadores e formadores de plateia do teatro brasileiro, que fez teatro com jovens e para jovens, com a mesma direção da primeira montagem, trinta anos depois, mostrando o quanto sua direção e os assuntos do espetáculo continuam tão atuais para os jovens de hoje.

Temporada

O espetáculo estreou no dia 20 de março de 2018, às 19h no Teatro Oi Casa Grande, e cumpriu uma primeira temporada até o dia 04 de abril de 2018. Os espetáculos da primeira temporada foram realizados as terças e quartas feiras às 19:00. Logo após, o espetáculo foi convidado para uma segunda temporada, que pode se estender até o mês de junho no próprio Teatro Oi Casa Grande, nos mesmos dias da semana e horários. Após a Copa do Mundo de Futebol, no segundo semestre, retomaremos o espetáculo nos Teatros Miguel Falabella na Zona Norte, Teatro Nathalia Timberg ou Cidade das Artes na Barra da Tijuca e se possível uma apresentação no Teatro Municipal com renda destinada aos funcionários do Teatro. Todas as conversas já foram iniciadas. Pretendemos também, se possível, fazer alguns festivais de Teatro, como o Festival de Inverno da Cesgranrio, o FITA em Angra dos Reis e o Festival de Teatro de Rio Preto (FIT).

Posts Relacionados

Paulo Victor une garra e carisma em seu oficio de dançarino e se torna um fenômeno de sucesso

Banda EVA com Felipe Pezzoni

Teatro Humboldt traz espetáculo “Acampatório” da Cia Truks