OCUPAÇÃO PERVERSA – CIA PERVERSOS POLIMORFOS – GALPÃO DA RUA PRATES

Galpão da Rua Prates abriga “Ocupação Perversa”

Em temporada de duas semanas – entre 11 e 22 de julho -, a Cia. Perversos Polimorfos, dirigida por Ricardo Gali, realiza a “Ocupação Perversa”, no antigo Galpão da Rua Prates, espaço que foi sede da Cia Munguzá / Cia do Tijolo, no Bom Retiro, com 10 apresentações de seus últimos dois trabalhos: “Cansei de Ser Sereia”, às quartas-feiras, e “Shine”, de quinta a domingo. A entrada é gratuita.

“Cansei de ser Sereia” parte do estudo do ser mitológico sereia para metaforizar questões em torno das transformações corporais e suas adequações e inadequações sociais. A canção ‘Spectrum’, da banda Florence and the Machine, mixada pelo Dj Calvin Harris, e as imagens oferecidas pelo videoclipe da música, são a base para os intérpretes Carolina Canteli, Danielli Mendes, Gabriel Tolgyesi e Ricardo Gali criarem uma estrutura dramatúrgica de corporeidade cinematográfica. O desenho de luz de Aline Santini conta com operação de Clara Caramez; a trilha sonora de Ricardo Vicenzo, com desenho de som de Kleber Araujo, é operada por Rafael Limongelli. Ricardo Gali responde pela concepção, direção e figurino.

“Shine” cria uma ficcionalidade a partir do conceito de reflexo em suas várias acepções – tanto no sentido do efeito produzido pela irradiação luminosa emitida por um corpo, como daquilo que evidencia algo, ou ainda como a capacidade de reagir de forma rápida e eficiente em resposta ao estímulo de um receptor sensorial. São danças de destruição e renovação, oriundas de indagações acerca da trajetória da companhia e do contexto em que está inserida. Sob quais parâmetros se pode continuar criando? “Shine” traz no elenco Carolina Canteli, Danielli Mendes, Danilo Patzdorf, Gabriel Tolgyesi, Jerônimo Bittencourt e Marina Matheus. A luz de Aline Santini recebeu o Prêmio Denilto Gomes e indicação para o APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte – de 2017. Lourenço Rebetez responde pela trilha sonora. A direção e o figurino são de Ricardo Gali, com a assistência de direção de Patrícia Bergantim.

A “Ocupação Perversa” integra projeto contemplado pela 23ª edição do Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo.

___________________________________________________

Serviço

De 11 a 22/7 – “Ocupação Perversa” – Cia Perversos Polimorfos

(de quarta a sábado, 20h30; domingos, 19h)

“Cansei de ser Sereia”

Dias 11 e 18/7 (quartas)

Duração: 50 min

Classificação: livre

 

“Shine”

De 12 a 15/7 e  19 a 22/7 (quintas, sextas, sábados e domingos)

Duração: 90 min

Classificação: 14 anos


Ingressos: Grátis

Local      

Antigo Galpão da Cia Mungunzá / Cia do Tijolo

  1. Rodolfo Miranda, 350 – Bom Retiro, São Paulo

350m da Est. Armênia (Linha 1 – Azul)

950m da Est. Tiradentes (Linha 1 – Azul)

__________________________________________

 

Fichas dos espetáculos

‘Cansei de Ser Sereia’

Concepção e Direção: Ricardo Gali
Intérpretes-criadores: Bárbara Elias, Carolina Canteli, Gabriel Tolgyesi e Ricardo Gali
Intérpretes: Danielli Mendes, Carolina Canteli, Gabriel Tolgyesi e Ricardo Gali
Design de luz: Aline Santini
Operação de luz: Clara Caramez

Trilha sonora: Ricardo Vicenzo

Desenho de som: Kleber Araújo
Associação desenho de som: Luis Santiago Málaga
Operação de som: Rafael Limongelli
Figurino: Ricardo Gali
Direção de produção: José Renato Fonseca de Almeida
Produção executiva: Rafael Limongelli

‘Shine’

Direção: Ricardo Gali

Assistente de direção do espetáculo: Patrícia Bergantin
Assistente de direção geral: Carolina Splendore
Intérpretes-criadores: Carolina Canteli, Danielli Mendes, Danilo Patzdorf, Gabriel Tolgyesi, Jerônimo Bittencourt e Josefa Pereira
Intérpretes: Carolina Canteli, Danielli Mendes, Danilo Patzdorf, Gabriel Tolgyesi, Jerônimo Bittencourt e Marina Matheus
Desenho de luz: Aline Santini
Operação de luz: Clara Caramez
Trilha sonora original: Lourenço Rebetez
Desenho de som: Kleber Araújo
Associação desenho de som: Luis Santiago Málaga
Operação de som: Rafael Limongelli
Figurino: Ricardo Gali
Direção de produção: José Renato Fonseca de Almeida
Produção executiva: Rafael Limongelli

 

Posts Relacionados

“Teatro Breve de Garcia Lorca” estreia curta temporada no Rio de Janeiro

Stand up Meu Dinheiro Vale Ouro tem apresentações em Osasco

Grupo de Teatro do CAU apresenta espetáculo gratuito na Univali em Itajaí