Sérgio Niculitcheff e Ennio Possebon – Exposição resgata o ofício e a arte nas imagens compostas por gravadores (gratuito, abre 05/04)

5 de abril de 2019 Artes e Cultura
Sérgio Niculitcheff e Ennio Possebon – Exposição resgata o ofício e a arte nas imagens compostas por gravadores (gratuito, abre 05/04)

EXPOSIÇÃO RESGATA O OFÍCIO E A ARTE NAS IMAGENS COMPOSTAS POR GRAVADORES

O resgate do ofício de gravador, traduzido na arte exposta em um casarão restaurado e tombado pelo patrimônio histórico, no Centro de São Paulo. É neste cenário que a Casa da Boia Cultural abrirá nesta sexta-feira, dia 05 de abril, a exposição “Niculitcheff/Posssebon – 2 Gravadores”.

A mostra encerra as comemorações dos 120 anos da Casa da Boia, um dos mais tradicionais comércios de produtos hidráulicos e materiais não ferrosos de São Paulo, fundado em 1898 pelo imigrante sírio Rizkallah Jorge Tahan.

As 67 gravuras dos artistas Sérgio Niculitcheff e Ennio Possebon ficarão abrigadas em um dos espaços restaurados do imóvel, que funcionava como porão e, a partir da nova proposta, passará a abrigar manifestações culturais dos mais diferentes tipos. Além das gravuras, a mostra também inclui a exibição de um vídeo de Possebon e de 7 esculturas e objetos em metal de autoria dos dois gravadores, em exposição no ambiente da própria loja, como um convite para a visitação.

“Queremos trazer o público para dentro do nosso espaço, para que as pessoas conheçam e interajam com as histórias que a Casa da Boia conta. São 120 anos de tradição, que agora se voltam para o futuro e para a integração de nossos clientes e dos mais diferentes públicos que frequentam o local todos os dias”, afirma Adriana Rizkallah, diretora da Casa da Boia Cultural.

Como parte da programação da mostra, no dia 26 de abril, às 14h, o artista Marco Buti fará uma palestra gratuita com o tema Gráfica Americana, na qual traçará um paralelo do desenvolvimento das gravuras brasileira e norte-americana.

Os artistas

Sérgio Niculitcheff: atua há mais de 40 anos no circuito das artes plásticas. Iniciou sua carreira como pintor nos anos setenta, tendo desde então exibido suas obras individualmente ou em mostras coletivas com significativas exposições no Brasil e no exterior. Possui obras no acervo de diversos museus do País e em importantes coleções particulares. Graduado pela Faculdade Belas Artes de São Paulo (FEBASP), mestre em Artes Visuais pela UNESP e doutor na área de Poéticas Visuais na UNICAMP.

Ennio Possebon: arquiteto, designer, artista visual, gravador e curador. Graduado, mestre e doutor pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Traduziu e prefaciou Contribuições para a Óptica, de J. W. von Goethe, sobre a Teoria das Cores. Expôs individualmente no SESC Consolação, Galeria SESC Paulista, Galeria Tenda, JW Thompson Propaganda, Clube de Criação de São Paulo, Spazio Pirandelo, Atelier do SESC Pompeia, Galeria J. Tarcizio – Fortaleza, Espaço Cultural Rudolf Steiner e coletivas na FAUUSP, Bienal de Santos, Galeria Sobrado, Biblioteca da FMU, Museu RioPardense e Atelier SESC Pompe ia/20 anos.

SERVIÇO:
Exposição “Niculitcheff/Posssebon – 2 Gravadores”
Quando: de 05 de abril a 07 de junho de 2019 (exceto dias 19/4 e 01/5)
Horário: de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h
Local: Casa da Boia Cultural    –  Entrada Gratuita
Endereço: Rua Florêncio de Abreu, 123 (próx. à estação São Bento do Metrô)

Casa da Boia: 120 anos de história

 A Casa da Boia comemorou 120 anos em maio de 2018. Fundada pelo imigrante sírio Rizkallah Jorge Tahan, foi a primeira fundição de cobre do País e, possivelmente, da América do Sul. Começou suas atividades com a fabricação de artefatos de decoração, como arandelas, gradis e candelabros. No início do século XX, passou a produzir intensivamente materiais sanitários, uma demanda de saúde pública, em razão das inúmeras epidemias que ocorriam na cidade, entre elas a de febre amarela.

A celebração dos 120 anos vem ocorrendo por meio de uma série de manifestações culturais gratuitas relacionadas à história da loja, como a exposição “Entre papéis, fotografias e objetos: o acervo de Rizkallah Jorge Tahan” e o lançamento do livro “Um Artífice na Urbanização Paulistana: Rizkallah Jorge Tahan (1895-1949)”, da historiadora Renata Geraissati Castro de Almeida. No in&iacut e;cio de dezembro, a decoração de Natal com base no cobre e as apresentações do casal de repentistas Sebastião Marinho e Luzivan Matias deram o ar de brasilidade às comemorações, unindo música e literatura de cordel em apresentações para o público que transita pela Rua Florêncio de Abreu, no Centro de São Paulo.


Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.