Velocista catarinense busca medalha inédita no mundial

18 de setembro de 2019 Esportes
Velocista catarinense busca medalha inédita no mundial

Velocista de Itajaí busca medalha inédita em Mundial 

Rodrigo Pereira do Nascimento entre os melhores do planeta na prova individual dos 100 metros

Para chegar no auge da carreira, correr a prova mais nobre do atletismo e sentir que o sonho se tornou realidade são necessários anos de preparação. Agora, há menos de 20 dias para o Mundial de Atletismo o cuidado é redobrado para tudo dar certo na hora da prova mais rápida do atletismo.  Pois é, vida de atleta é assim.

O itajaiense Rodrigo Pereira do Nascimento começou nesta semana a viagem em busca de mais uma experiência internacional. A primeira etapa é voltada para adaptação do corpo para as novas temperaturas, que prometem ser altíssimas, para o fuso-horário e mais  treinos.

Foram quase 48h de viagem até chegar mais próximo ao palco do Mundial de Atletismo. Na manhã desta quarta-feira ( horário de Brasília), 11, ele desembarcou em Bangkok, a capital da Tailândia. Ele ficará por lá, em preparação para a competição internacional que acontecerá no Estádio Internacional Khalifa de Doha, de 27 de setembro a 06 de outubro.

Na capital e cidade mais populosa do Emirado do Qatar, Rodrigo competirá em duas categorias:  a prova individual dos 00m e revezamento 4×100, onde estará acompanhado dos velocistas Derick de Souza, Flavio Gustavo Barbosa, Vitor Hugo dos Santos e Paulo André Oliveira.

Quando pensa em toda a trajetória, Rodrigo se sente preparado para conquistar as metas traçadas em longos meses de treinamento. “Minhas expectativas são altas, estou aqui para ser um finalista da prova mais rápida e nobre do mundo. Estou pronto fisicamente e psicologicamente, agora é só cuidar dos últimos detalhes nessa preparação e deixar tudo acontecer”, ressalta o atleta.

Com 24 anos, Rodrigo busca nesse mundial alcançar seus melhores resultados até então. Sem esquecer que na bagagem, ele já traz duas medalhas de ouro. Uma do Mundial e outra do Pan-americano de Lima. Além de pesadas, elas representam o desafio diário que é ser velocista no Brasil.

2019 foi e vai continuar sendo um ano intenso para o jovem Rodrigo. Depois da competição em Doha ele retorna para o Brasil, mas não por muito tempo. Do dia 14 a 19 de outubro, ele compete o Mundial Militar na China e vem encontrar a equipe a qual ele faz parte.

 

 

 

1. Foto: Marcos Porto – durante a visita do Rodrigo a Itajaí, no fim de agosto de 2019.


Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.