Alunos de escolas públicas representam Brasil em competição de robótica nos EUA

26 de fevereiro de 2019 Atualidades
Alunos de escolas públicas representam Brasil em competição de robótica nos EUA

ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS REPRESENTAM BRASIL EM COMPETIÇÃO DE ROBÓTICA NOS EUA

“O Brasil precisa estimular o aprendizado de robótica e programação como forma de fazermos o país avançar na criação e no desenvolvimento de tecnologias”

Um grupo de dez alunos de escolas públicas do interior de São Paulo vai representar o Brasil na First Robotics Competition (FRC) 2019, nos Estados Unidos, em março. A equipe Brazilian Storm, de São José dos Campos (SP), participa de duas etapas regionais, em Little Rock (Arkansas) e em Huntsville (Alabama), e promete muita dedicação para mostrar o talento dos estudantes brasileiros. A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) patrocina os estudantes e mentores que viajam para os EUA. A programação da viagem e os detalhes sobre o time e a competição serão apresentados na próxima terça-feira na Escola Estadual Professor Alceu Maynard Araújo, no Jardim Motorama, em São José dos Campos. O FRC é a principal competição de robótica no mundo. Com idades entre 14 e 18 anos, os integrantes dos quatro mil times de todos os cantos do planeta precisam construir e programar robôs para superar desafios e executar tarefas enfrentando outros competidores numa arena especialmente adaptada para a disputa.

A equipe Brazilian Storm, de São José dos Campos, é resultado da dedicação de dois professores voluntários, que tinham o objetivo de promover inclusão social a partir do ensino de robótica para quem não podia pagar. O Engenheiro Industrial Mecânico Leonardo Rosa e o Mecânico Montador de Sistemas na Embraer Arthur de Oliveira empregaram seus conhecimentos para ensinar programação com arduíno, conceitos de eletrônica, mecânica, programação de robô e uso de plataforma de geração de projetos em 3D. O trabalho com os alunos que integram a equipe Brazilian Storm começou há três anos, com aulas nas férias e aos sábados, tendo como sede a Escola Professor Alceu Maynard Araújo. O próprio professor Leonardo foi aluno da escola e queria poder retribuir. Em 2018, criou a Associação Joseense de Apoio a Pesquisa e Ensino em Tecnologia (Ajapet). Hoje, o projeto se estende a outras oito escolas de São José dos Campos e também de Jacareí, Monteiro Lobato e Taubaté, totalizando 27 alunos.

Na primeira participação do Brazilian Storm no First Robotics Competition, em 2017, os estudantes brasileiros foram à final na etapa regional do Sul da Flórida, em West Palm Beach, e ganharam o prêmio de melhor equipe novata. “Independentemente de premiação em 2019, esses jovens estudantes de escola pública já são campeões. Outros projetos como esse precisam ganhar escala e se espalhar pelo país. O Brasil precisa estimular o aprendizado de robótica e programação como forma de fazermos o país avançar na criação e no desenvolvimento de tecnologias”, avalia o Presidente da ABDI, Guto Ferreira.


Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.