Artistas e Trabalhadores da Cultura merecem atenção na retomada de seu ofício – por Carlos Navas (cantor/Intérprete)

15 de janeiro de 2021 Atualidades
Artistas e Trabalhadores da Cultura merecem atenção na retomada de seu ofício – por Carlos Navas (cantor/Intérprete)

Nós, trabalhadores da arte e cultura, em especial, profissionais independentes, que não habitamos o olimpo pop ou o mainstream, estamos, infelizmente, habituados a não merecer apoio, incentivo, visibilidade e carinho de grande parte das autoridades de nosso país, com algumas honrosas exceções. Estamos, há 10 meses, sem poder fazer nossas apresentações, inviabilizando toda uma cadeia geradora de renda e afeto que envolve técnicos, produtores, músicos, assistentes, camareiros, seguranças, motoristas, holdies, maquiladores , designers gráficos, empresas de som e luz, etc, etc, etc.

Compreendo, em minha pequeninice, a necessidade dos cuidados cidadãos. Não sou negacionista , admiro e agradeço à Ciência por tantas conquistas. Sobretudo, respeito a mim e ao meu semelhante, mas sei também da importância que nosso ofício tem como elemento aglutinador de amor , trazendo uma visibilidade internacional ao nosso belo e sofrido Brasil.

Os poucos editais e iniciativas lançados , aos quais louvo, têm se mostrado insuficientes para atender uma demanda expressiva de um setor da sociedade que tem sido pouco lembrado e, muitas vezes, ignorado. Dizem que temos que “nos reinventar”. Quando se tem em casa apenas um celular e acesso às redes sociais, a tarefa não é assim tão simples. Por outro lado, sei da força do que fazemos. Conheço a egrégora criada pelo que a arte suscita em cada ser. Chama se transformação, expansão, reflexão, evolução.

Por isso, rogo às entidades culturais públicas e privadas nas pessoas de seus gestores , homens e mulheres em posição de decisão,  que , seguindo as orientações necessárias, ousem retomar suas agendas de programação e eventos. Não fazemos entretenimento apenas. Somos trabalhadores também essenciais. Geramos renda, criamos empregos, pagamos impostos. Acolhemos pois precisamos ser acolhidos . Acreditamos num país e num planeta melhores e não numa nação que é apenas de meia dúzia de privilegiados.

Ajudem nos a oferecer aquilo que nos é mais precioso, pois um mundo sem arte é inviável. A arte pode ser virtual, mas é , por essência, presencial, o que jamais deve ser confundido com aglomeração. Principalmente , quando falamos artistas e trabalhadores da cultura independente, ainda tratada como marginal ou, mesmo, como se não existisse. Muitos estão jogando a toalha. Não permitam que mais de nós tomemos essa triste atitude !

Assim É !

 

Carlos Navas

Cantor e Intérprete brasileiro

#carlosnavas #mpb #retomadaconsciente

@carlosnavas.cantor

 

SOBRE CARLOS NAVAS

O intérprete paulistano tem dez discos solo elogiados. Em seu repertório, reúne autores contemporâneos expressivos como Alzira Espíndola, Itamar Assumpção, José Miguel Wisnik, Marina Lima e Vitor Ramil. Em vinte e três anos de carreira, lançou álbuns temáticos dedicados a Mario Reis e Custódio Mesquita e também dois cd´s infantis: “Algumas Canções da Arca… “(2004) e “Canções de Faz de Conta” (2007), onde interpreta, respectivamente, Vinicius de Moraes e Chico Buarque para crianças. Em 2013, chegou ao mercado o DVD ENSAIO, que registra sua passagem pelo programa homônimo, dirigido por Fernando Faro. O acústico “Crimes de Amor” (2015/2017) é seu décimo álbum e mereceu elogios unânimes da crítica. Em 2016, regrava em voz e piano “O Chamado”, hit de Marina Lima (em parceria com Giovanni Bizzotto), que se torna seu primeiro single exclusivamente digital. É convidado pelo músico Guga Stroeter no ano seguinte para ser a voz do espetáculo em Tributo aos 30 anos do quinteto de Jazz Nouvelle Cuisine.

 


Carlos Navas
Site Oficial: www.carlosnavas.com.br

Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.