Concurso “HUB – Histórias para Unir o Brasil” sugere que a dramaturgia é capaz de criar diálogo entre extremos

3 de fevereiro de 2020 Artes e Cultura
Concurso “HUB – Histórias para Unir o Brasil” sugere que a dramaturgia é capaz de criar diálogo entre extremos

Concurso “HUB – Histórias para Unir o Brasil” sugere que a dramaturgia é capaz de criar diálogo entre extremos

Inscrições estão abertas no site www.unirobrasil.com.br entre os dias 11 de fevereiro e 3 de julho

Atualmente o Brasil passa por um momento de polarização sócio-cultural. Sendo as nações formadas pelo imaginário das comunidades e narrativas unificadoras, podemos entender, então, uma crise em nossos discursos. Baseado nessa lógica, o cineasta Newton Cannito lança, no próximo 11 de fevereiro, o concurso HUB – Histórias para Unir o Brasil. Com o propósito de escolher argumentos originais para o desenvolvimento de séries, filmes e livros, o projeto gratuito busca ideias de histórias que discutam e resgatam  a identidade nacional. 

“Só a antropofagia nos une socialmente e culturalmente”, disse Oswald de Andrade no Manifesto Antropofágico (1928), um dos principais ativistas da Semana de Arte Moderna, que aconteceu entre os dias 11 e 18 de fevereiro de 1922. Propositalmente a abertura das inscrições acontece na data inicial desse marco na cultura e sociedade brasileira. “A Semana de 22 foi, também, uma pesquisa e criação de nossa identidade nacional. O concurso está totalmente alinhado com essa busca e criação”, explica Cannito.

“Acredito que estamos na terceira fase dessa investigação. Em 22, buscamos as origens indígenas de nossa cultura. Na segunda, 50 anos depois, a partir de 68, tivemos a revolução tropicalista. Agora, novamente passada meia década, iremos fechar esse ciclo, recuperando a influência de várias culturas europeias que formaram nosso povo e fazendo a mistura disso tudo”, complementa Newton. “Nossa proposta é realizar concursos assim até 2022, que marca 100 anos da Semana de Arte Moderna, 200 anos da Independência do Brasil, além de ser ano de eleição federal. Enxergo que até lá temos que redescobrir nossa identidade nacional. E o HUB surgiu para ajudar a enfrentar as dificuldades e chegar nesse lugar, e. encontrar histórias que nos unem e buscam nossos sonhos”, diz.

O concurso é aberto ao público geral e não exige nenhuma formação ou experiência em criação de argumentos e roteiros. As inscrições acontecem até 3 de julho no site www.unirobrasil.com.br. Cada concorrente deve enviar uma história no formato descrito no formulário e gravar um vídeo apresentando a ideia. A seleção será feita em duas etapas: a equipe do FICs (Fábrica de Ideias Cinemáticas), criada por Newton, pré-seleciona as trinta melhores propostas; em seguida, uma comissão formada por renomados roteiristas, diretores e produtores avalia as histórias e seleciona os dois vencedores. 

O autor de cada história selecionada será premiado com um contrato de opção de cessão de direitos autorais de sua história e desenvolvimento de roteiro, no valor de R$ 60.000,00. Dos quais, R$ 8.000,00 serão pagos na assinatura e o restante no caso de viabilização da produção da série ou filme baseada em sua história. Um curso de Roteiro promovido pela  FICs, em que o autor do conto receberá conhecimentos técnicos para avançar na adaptação dessa ideia para um formato de produção audiovisual. Além dos créditos como um dos roteiristas, os autores de cada história selecionada receberão os créditos “baseado em história original de”, nos materiais de divulgação do projeto e nos filmes e séries produzidos a partir de sua história.

Sobre Newton Cannito

Newton Cannito é autor-roteirista de cinema e televisão. Como roteirista, ganhou prêmios como APCA de melhor Teledramaturgia com a série “9mm”, Fox e Netflix), ABRA com a série Unidade Básica, Contigo com Z4 e o Emmy de Telenovela pela participação em Joia Rara. Foi também presidente da Associação de Roteiristas por dois mandatos e Secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, sempre defendendo a importância do roteiro dentro do processo audiovisual.

Há muito tempo atua como professor e consultor de roteiro. Elaborou o Concurso de Roteiros Cidade dos Homens, com mais de 800 participantes e cujo material didático foi publicado como “Manual de Roteiro” (Conrad). Outros livros seus são também referência para o debate sobre audiovisual brasileiro como Choque de Tropicalismo e a Televisão na Era Digital.

Foi supervisor artístico do Edital FICTV que resultou em várias séries de sucesso, como 3%( Netflix),  “Natalia”(Universal), “Vida de Estagiário”(Warner) e “Brilhante FC” (TV Brasil), e curador da Casa do Autor Roteirista, evento que, em 2019 chegou a sua 4ª edição, debate criação audiovisual. 

Em 2020 lançará a segunda temporada da série Cidade dos Homens e está em produção com dois novos roteiros: as cinebiografias de Silvio Santos e de São José de Anchieta.

Sobre a FICs

Desde 1998, a Fábrica de Ideias Cinemáticas investe na formação de roteiristas com cursos presenciais e online.

A FICs tem vasta experiência na elaboração de processos criativos originais e concursos. Em 2002 lançamos o Concurso de Roteiros Cidade dos Homens, em parceria com a O2, USP e Globo. Entre os vencedores, consagrados roteiristas como Maria Camargo e Ricardo Tiezzi. A FICs também foi responsável por elaborar o concurso e fazer a supervisão artística do edital FICTV, que produziu 8 pilotos originais e 3 séries completas, entre elas 3% e Natalia.

Nosso grande diferencial é a aproximação real entre a teoria e a prática, com metodologia criada pela empresa que também é uma agência de conteúdo com participação em inúmeras séries, como Z4 (SBT/Disney), 3% (Netflix), Unidade Básica (Universal Channel), 9mm (FOX), Cidade dos Homens (Globo), entre outras. O corpo docente é formado por roteiristas atuantes no mercado. 

Anualmente novos autores ingressam no mercado após os cursos e oficinas da FICs. Em 2019, duas ex-alunas participaram de projetos da empresa. Entre roteiristas e produtores consagrados que já passaram em nossos cursos se destacam: Maria Camargo, Ricardo Tiezzi, Rodrigo Teixeira, André Pellenz, Flavia Boggio, entre outros. 

Além dos cursos, a FICs é também uma produtora de storytelling, especializada na criação de estórias e desenvolvimento de narrativas. Acreditamos que o ato de contar histórias é parte essencial do que nos faz humanos. Narrativas nos mobilizam, geram paixões, reflexões e sentimentos. Estimulam conversas íntimas, bate-papos descompromissados, debates acalorados e nos permitem observar o mundo pelos olhos de outros e imaginar realidades alternativas. 

Com foco em qualidade artística e sucesso comercial, nós desenvolvemos desde formatos tradicionais consagrados, como roteiros para filmes e séries fechadas, até formas narrativas expansivas que atravessem múltiplas mídias e tenham potencial para geração de propriedades intelectuais a serem exploradas em longo prazo. Além de conteúdos especializados, desenvolvidos sob encomenda, com a finalidade de promover o engajamento de diferentes públicos em torno de marcas e causas.


Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.