Estudantes paraenses criam aplicativos voltados para deficientes visuais e para agricultura familiar

23 de abril de 2020 Educação e Tecnologia
Estudantes paraenses criam aplicativos voltados para deficientes visuais e para agricultura familiar

Estudantes paraenses criam aplicativos voltados para deficientes visuais e para agricultura familiar

Projetos, que fazem parte das categorias Diversidades e Smart Farm, são finalistas da 8ª edição do Campus Mobile, concurso patrocinado pelo Instituto Claro

O estado do Pará possui dois representantes como finalistas da 8ª edição do Campus Mobile, concurso de inovação e empreendedorismo, realizado pela Associação do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC), com patrocínio do Instituto Claro e apoio da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), que busca estimular os estudantes universitários e jovens recém-formados a desenvolverem soluções por meio de aplicativos, produtos e serviços do segmento mobile que promovam impacto social e benefícios à população.

O aplicativo ChartVision, finalista na categoria Diversidade, tem como objetivo integrar estudantes com deficiências visuais em interações com gráficos de dados. A proposta é um aplicativo totalmente voltado para deficientes visuais no qual elas possam carregar dados de um gráfico em um formato específico (como a Vega-Lite) ou digitalizar um gráfico usando a câmera. O aplicativo permite que o usuário explore os elementos visuais do gráfico por meio do toque, deslizando sobre a tela, com respostas ao tato sobre cada elemento. A solução foi desenvolvida pelo estudante Alan Trindade De Almeida Silva, da Universidade Federal do Pará.

Concorrendo na categoria Smart Farm, o aplicativo FARM.GO – Agricultura Familiar em um Click visa conectar produtos da agricultura familiar a pessoas da cidade em que o app está sendo utilizado e que procuram por alimentos saudáveis sem sair de casa. Além disso, o aplicativo conta com entregadores parceiros e que podem se cadastrar na plataforma e receber por horas trabalhadas.A plataforma foi desenvolvida por Mauricio Pantoja, estudante na Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará.

Oportunidade de conhecer o Vale do Silício – Cada aplicativo concorre com outros dois projetos em suas respectivas categorias do Campus Mobile. Ao todo são 18 projetos finalistas divididos em seis categorias: Saúde, Diversidade, Smart Cities, Smart Farms, Educação e Games. Os vencedores do concurso serão premiados pelo Instituto Claro com uma viagem ao Vale do Silício, na Califórnia, Estados Unidos, para uma imersão nas principais empresas de tecnologia do mundo. O resultado, com a indicação dos vencedores, será divulgado no mês de maio.

Conheça todos os finalistas no portal https://www.institutonetclaroembratel.org.br/nossas-novidades/conheca-os-projetos-selecionados-para-a-8a-edicao-do-programa-campus-mobile/

 

SOBRE O INSTITUTO CLARO

A área de Responsabilidade Social da Claro investe continuamente em ações relacionadas à Educação e à Cidadania, por meio do Instituto Claro, com o objetivo de atuar em frentes sociais que integram a tecnologia e a informação como fonte de desenvolvimento e conhecimento. Desta forma, realiza e apoia projetos como o Campus Mobile, o Educonex@o, o Programa Dupla Escola, entre outros. O Instituto Claro é qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) pelo Ministério da Justiça, e é reconhecido pelo Departamento de Informação Pública das Nações Unidas (DPI/ONU) como uma organização não governamental corporativa que promove os ideais e princípios sustentados pela Carta das Nações Unidas.

Conheça outras realizações no site do Instituto Claro
https://www.institutonetclaroembratel.org.br/

Redes Sociais
https://www.instagram.com/institutoclaro/

https://www.facebook.com/institutoclaro/


Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.