Flip anuncia espetáculo de Abertura

21 de junho de 2019 Artes e Cultura
Flip anuncia espetáculo de Abertura

Flip anuncia Espetáculo de Abertura

O espetáculo “Mutação de apoteose”, inspirado em um trecho de “A terra”, primeira parte de Os sertões, de Euclides da Cunha, acontece após a Sessão de Abertura da 17ª Festa Literária Internacional de Paraty – Flip, no dia 10 de julho, às 20h. A apresentação, realizada pela Universidade Antropófaga com direção artística da atriz Camila Mota, foi criada a partir das canções compostas para as montagens da obra do Autor Homenageado da Flip 2019 feitas pelo Teatro Oficina no começo dos anos 2000.

“Euclides da Cunha é um autor que imprime muita oralidade na escrita, que inevitavelmente se transformou em música na aventura de transpor o livro para o teatro. Agora, é uma nova transposição, que parte da matéria criada pela encenação do Teatro Oficina, mas coloca novamente as palavras cantadas como motor do espetáculo. Voltar ao livro Os sertões, que revelou a força estética das insurreições, das lutas contra o martírio da terra, é muito importante nesse momento, em que devemos invocar inteligência, clareza, interpretação e eloquência”, afirma Camila Mota.

Para a realização do espetáculo, as composições, que são assinadas por autores como Tom Zé, Arnaldo Antunes, Adriana Calcanhotto, Chico César, Karina Buhr, José Miguel Wisnik, Celso Sim e Péricles Cavalcanti, além do próprio coro de atores, serão reinterpretadas para representarem as urgências do Brasil contemporâneo.

O elenco contará com crianças e jovens de Paraty que vão participar de oficinas de teatro e música no período pré-Flip, como parte das ações de permanência do Programa Educativo da Festa Literária.

“As canções compostas para as montagens do Teatro Oficina formam um repertório maravilhoso e muito variado. É um trabalho coletivo e, mais do que isso, um encontro de diferentes talentos individuais”, diz Fernanda Diamant, curadora da 17ª Flip.

Para Mauro Munhoz, diretor geral e artístico do Programa Principal da Flip, “o trabalho coletivo do espetáculo dirigido por Camila Mota conversa com fundamentos primordiais da Flip: envolve jovens moradores de Paraty e integra linguagens como a literatura, o teatro, a dança e a música. Tudo isso após a fala de Walnice Nogueira Galvão. Da palavra dita à palavra cantada e encenada”.

Ficha técnica:

Espetáculo: mutação de apoteose

Direção: Camila Mota

Roteiro: Universidade Antropófaga

Vídeo: Cafira Zoé e Cecília Lucchesi

Arquitetura cênica: Marília Gallmeister + alunos da escola da cidade

Figurino: Sônia Ushiyama

Luz: Cyntia Monteiro

Som: Camila Fonseca

Banda:

Letícia Coura

Felipe Botelho

Guilherme Calzavara

Otávio Ortega

Adriano Salhab

Nana Carneiro Da Cunha

André Santana

Coro de cantores atuadores: Letícia Coura, Celso Sim, Céllia Nascimento, Mayara Baptista, Sylvia Prado, Camila Mota,

Marcelo Drummond como Euclides Da Cunha

Zé Celso como Antonio Conselheiro

Flip 2019

A 17ª Flip, que acontece de 10 a 14 de julho, tem curadoria de Fernanda Diamant e Euclides da Cunha como Autor Homenageado.

Quem faz a Flip

A Flip tem o patrocínio do Ministério da Cidadania, através de sua Secretaria Especial de Cultura, a partir do Edital de Feiras Literárias, e por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, além de Patrocínio Oficial do Itaú e Copatrocínio da EDP e da CMPC. A edição 2019 continua em fase de captação de recursos.


Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.