Projeto da USP de São Carlos reconstrói a Taça Jules Rimet através de impressão 3D

5 de fevereiro de 2020 Educação e Tecnologia
Projeto da USP de São Carlos reconstrói a Taça Jules Rimet através de impressão 3D

Projeto da USP de São Carlos reconstrói a Taça Jules Rimet através de impressão 3D

IPT, ITA, UFSCar e Centro Renato Archer também participam da reconstrução do trófeu roubado na década de 1980

Reconstruir a Taça Jules Rimet por manufatura aditiva é uma das atividades de um projeto em execução pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP) que conta com a colaboração do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e o Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer. O projeto visa a reconstituição do troféu de 3,8 quilos de ouro roubado em dezembro de 1983.

O processo de deposição direta por energia (Energy Deposition, ou DED) foi o escolhido para a reconstrução da taça – nesta técnica de manufatura aditiva, pós de ligas metálicas são fundidos por um laser que atinge tanto o substrato quanto o material de adição, promovendo a fusão e a consolidação de componentes.

A atomização a gás é a técnica selecionada pelo Laboratório de Processos Metalúrgicos do IPT para a fabricação do pó destinado a reconstruir a taça: uma corrente de gás inerte de alta velocidade desintegra um filete de metal líquido e forma um spray que se solidifica na forma de partículas. Os materiais escolhidos para o projeto foram o aço ferramenta AISI H13 e o aço inoxidável AISI 316L.

A qualidade do produto final na manufatura aditiva é fortemente influenciada pelas características das partículas do pó, como o tamanho e a morfologia. Este é um dos principais desafios do projeto e, por isso, serão avaliados os efeitos dos parâmetros do processo de atomização na qualidade dos pós metálicos.

O projeto teve início em 2018. No laboratório do IPT, ao longo de 2020, serão realizados experimentos para a avaliação dos efeitos de diversos parâmetros de processo nas características dos pós metálicos e na produção do lote-piloto de pó das ligas; no segundo semestre deste ano, será iniciada a produção dos pós metálicos. A réplica da taça será doada à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em comemoração aos 50 anos da conquista do Tricampeonato Mundial de Futebol, no México, em 1970.

Para ler a reportagem completa, acesse o link


Copyright ©2018. Todos os direitos reservados.